quarta-feira, 19 de junho de 2024
publicidade publicidade

Suspeito de colocar bomba perto de aeroporto de Brasília se entrega

Alan foi identificado pela PCDF como comparsa de George Washington de Oliveira Sousa, o primeiro preso pelo atentado.

Mais um suspeito envolvido na tentativa de atentado com uma bomba perto do Aeroporto de Brasília, na véspera de natal do ano passado, foi preso. Alan dos Santos estava foragido e se entregou à Polícia Civil de Comodoro, no Mato Grosso.

Alan foi identificado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) como comparsa de George Washington de Oliveira Sousa, o primeiro preso pelo atentado.

Ambos eram seguidores do ex-presidente da República Jair Bolsonaro (PL) e participavam do acampamento em frente ao Quartel-General do Exército em Brasília de pessoas que não aceitam a derrota do político nas eleições em outubro do ano passado.

Segundo George Washington, ao colocar a bomba, a ideia do grupo era causar o caos na cidade, de modo a forçar as Forças Armadas a intervirem na situação.

Ainda durante o período em que esteve foragido, Alan virou réu na Justiça pelo envolvimento no caso. Agora preso, o bolsonarista deve ser transferido de volta para DF, onde deve ser ouvido e mantido pela PCDF.

Além de George e Alan, o jornalista Wellington Macedo de Souza também é suspeito de participação na ação e também se tornou réu.

Sendo assim, o trio deve responder na Justiça pelo crime de explosão, quando se coloca “a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos”. A pena pelo crime é de três a seis anos de reclusão, além de multa.

 

Por Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília

Posts relacionados