quinta-feira, 18 de abril de 2024
publicidade publicidade

Serviços de hemodiálise no DF terão incentivo anual de R$ 5,8 milhões

Recursos solicitados por meio do Ministério da Saúde vão fortalecer aquisição de recursos e facilitar abertura de mais vagas

Os serviços de hemodiálise realizados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) no Distrito Federal devem ter um reforço estimado de R$ 5,8 milhões no financiamento anual. A Secretaria de Saúde (SES-DF) homologou 12 locais que realizam o procedimento para receber incentivos adicionais do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC), do Ministério da Saúde.

“Esses recursos serão muito bem-vindos para a aquisição de insumos”, afirma o secretário-adjunto de Gestão em Saúde, Jansen Rodrigues. A decisão do colegiado de gestão da SES-DF foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal nesta segunda-feira (24), seguindo critério previsto na Portaria nº 762/2023 do Ministério da Saúde. O documento institui incentivo financeiro de custeio por equipamento de hemodiálise em uso no SUS.

Com o incremento de recurso, será possível realizar a compra de medicamentos, agulhas e outros materiais de consumo necessários para as sessões de hemodiálise. “Isso pode permitir a ampliação dos turnos de funcionamento das unidades de hemodiálise. Em Taguatinga, por exemplo, o funcionamento noturno praticamente duplicou o consumo de insumos”, complementa o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Maurício Fiorenza.

Em fevereiro do ano passado, o Hospital Regional de Taguatinga (HRT) passou a realizar o atendimento noturno, no horário das 19h às 23h, o que permitiu ofertar 40 vagas semanais a mais. Os hospitais regionais de Sobradinho, Asa Norte, Santa Maria e Gama também contam com ambulatórios de hemodiálise, além do Hospital de Base e do Hospital da Criança.

Atendimentos

Ao todo, ao longo de 2022, a pasta realizou 167 mil sessões de hemodiálise, entre serviços oferecidos em unidades da própria rede pública e por meio de contratos em clínicas de saúde suplementar. De acordo com o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia, o Distrito Federal registra anualmente cerca de 2.280 pessoas que se submetem a diálise, seja hemodiálise ou pelo método peritoneal.

A gerente de Controle de Credenciamento e Habilitação da Secretaria de Saúde, Karla Franco, lembra, ainda, o apoio para o custeio dos contratos com a saúde suplementar. “É a primeira vez que vamos receber o incentivo”, explica. Para ampliar a oferta de hemodiálise e liberar leitos na rede pública, a SES-DF também incluiu o serviço em contratos de prestação de serviço.

A hemodiálise é um tratamento para pacientes com falência da função renal que remove impurezas do sangue. Por meio de acesso vascular, uma máquina filtra o sangue. Para acessar o serviço é preciso passar por uma avaliação inicial e ter a indicação do especialista. Feito isso, o paciente é inserido no sistema de regulação da SES-DF e, depois, chamado para realizar o procedimento. Saiba mais no site da Secretaria de Saúde.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Por Agência Brasília

Foto: Matheus Oliveira/Arquivo/Agência Saúde / Reprodução Agência Brasília

Posts relacionados