quinta-feira, 18 de abril de 2024
publicidade publicidade

Semana de Inovação 2023 começa terça-feira (7/11) em Brasília

Maior evento de inovação pública da América Latina chega em 9ª edição com mais de 300 atividades gratuitas, recorde de inscritos e participação de especialistas internacionais

Temas tão diversos quanto inteligência artificial, sustentabilidade, afrofuturismo e gestão inclusiva fazem parte da agenda de debates e trocas de experiências da Semana de Inovação da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), reconhecido como o maior evento do segmento em toda a América Latina. No total, serão mais de 500 horas de programação totalmente gratuita com atividades presenciais e em uma plataforma virtual, que conta com transmissão ao vivo.

O evento ainda vai promover ações de gamificação, além de oferecer espaço de networking e atrações culturais. As atividades presenciais ocorrem na sede da Enap a partir desta terça-feira (7/11) até o dia 09 de novembro. A expectativa é chegar a 20 mil inscritos. As vagas para o formato presencial já esgotaram, mas ainda há vagas para participar no formato remoto.

Palestrantes

Nos três dias de programação estarão presentes palestrantes que são referência nas discussões sobre inovação no setor público, além de especialistas em áreas como digitalização de serviços governamentais e temas que fazem parte do processo de inovação em qualquer ambiente corporativo, como a automatização de tarefas, ferramentas inovadoras de gestão ou boas práticas para gerenciamento do stress – temas de palestras e oficinas que integram a programação.

Entre os palestrantes mais esperados, estão Gabriela Lotta, pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas nomeada uma das 100 acadêmicas mais influentes do mundo na área de governo pela Apolitical; Zan Chandler, futurista e educadora canadense e David Eaves, especialista em políticas públicas e ativista dos dados abertos. Também estará no Brasil para o evento o indiano Raul Mattahn, advogado especialista em regulamentação de tecnologia e conselheiro do Ministério de Finanças da Índia.

As atrações internacionais incluem ainda Lonny J Avi Brooks, professor de Comunicação Estratégica e Prospectiva da California State University e co-produtor do Afrofuturist Podcast (democratizando um futuro anti-racista). Brooks vai ministrar a oficina Dos Algoritmos aos Afro-ritmos no Afrofuturismo que vai apresentar aos participantes um jogo em que o usuário pode viajar em um multiverso, explorando futuros possíveis e criando novos artefatos para mundos paralelos, usando narrativas criadas nas perspectivas negras e indígenas.

Outros confirmados para esta edição:

Maha Mamo, ativista internacional dos Direitos Humanos;

Maitê Lourenço, psicóloga fundadora da BlackRocks Startups e Integrante do programa Liderança com Impacto, representando o ODS 9 do Pacto Global da ONU;

Preto Zezé, conselheiro da CUFA;

Rita von Hunty, arte educadora, colunista e apresentadora, além de persona drag do ator e professor Guilherme Terreri;

Sandra Sinde, economista e criadora do LASINDE;

Mayra Casttro, advogada fundadora da InvestAmazônia;

Gabriela Lotta, professora e pesquisadora da FGV nomeada uma das 100 acadêmicas mais influentes do mundo, na área de governo, pela Apolitical.

Zaika Santos, cientista de dados, multi-artista, pesquisadora, designer e divulgadora científica de Movimentos Especulativos, com Afrofuturismo, African Futurism e Afropresentismo, criptoartista e pesquisadora NFT e WEb 3.0

Zan Chandler, futurista e educadora canadense com base em Toronto.

Reynaldo Anderson, trabalha atualmente como Professor Associado de Africologia e Estudos Afro-Americanos na Temple University em Filadélfia, Pensilvânia. Diretor Executivo e cofundador do Black Speculative Arts Movement (BSAM), uma rede internacional de artistas, intelectuais, criativos e ativistas. Membro fundador da A.R.T. 2063, (Africanos levantando-se juntos), é coeditor de diversas antologias e revistas.

David Eaves, especialista em políticas públicas e ativista dos dados abertos;

Raul Mattahn, advogado especialista em regulamentação de tecnologia e conselheiro do Ministério de Finanças da Índia.

Promovida anualmente pela Enap, a Semana de Inovação coloca no centro das discussões grandes questões contemporâneas e busca ampliar o debate do setor público. Desde 2015, o evento fomenta a cultura de inovação entre os agentes públicos, promove a participação social e apresenta tendências e possibilidades para a transformação das organizações. O objetivo é compreender as diferenças, compartilhar ideias e aprender novas tecnologias e metodologias para inovar.

Programação cultural

A programação cultural do evento inclui shows de artistas de Brasília durante todos os dias. As atrações começam com a banda brasiliense Orquestra Alada do Trovão da Mata, que leva ao palco a mitologia cerratense e figuras mágicas do imaginário do Planalto Central. No encerramento das atividades é a vez do grupo carnavalesco de Brasília Calango Careta assumir o palco, que vai receber ainda, nos dias do evento, a compositora e cantora de Brasília, Flor Furacão, idealizadora do projeto O Forró Jazz do Cerrado. Emília Monteiro, cantora de família amapaense radicada em Brasília, também vai apresentar seu repertório de músicas regionais e da cultura brasileira.

A agenda cultural inclui ainda duas exposições: a Afro Remix BSAM e a Visões Vendadas, que apresenta obras artísticas para fruição de público cego. E convida, também, o público em geral para, de forma vendada, ter uma experiência única de experimentar uma vivência artística descobrindo novas experiências e sensações, tornando o próprio ambiente um espetáculo à parte.

A Semana da Inovação

A Semana de Inovação 2023 é realizada pela Enap em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) e o Tribunal de Contas da União (TCU). O evento conta com o patrocínio da Dataprev, da Petrobras, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), do Instituto Unibanco, da Microsoft, da CAIXA, do Banco do Nordeste e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Anatel.

Tem também o apoio do Banco do Brasil, do Instituto Eldorado, da Embaixada da Dinamarca, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), do Banco de Desenvolvimento da América Latina e Caribe (CAF),da Associação Nacional das Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite) e a participação de diversas instituições do Governo Federal, de organismos internacionais, de grupos da sociedade civil e de representantes do setor privado.

Por Sarah Paes do Correio Braziliense

Foto:  Rosivaldo Moreira/Enap / Reprodução Correio Braziliense

Posts relacionados