quinta-feira, 18 de abril de 2024
publicidade publicidade

Projeto propõe zerar destinação de resíduos para aterros e lixões no DF

Selecionada pelo programa do GDF Start BSB, empresa oferece soluções para o reaproveitamento de material sólido urbano de grandes geradores

Com incentivo da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) por meio do programa Start BSB, a startup 4 Hábitos Para Mudar o Mundo – conhecida como 4H – propõe alternativas para separação e destinação dos resíduos sólidos urbanos de grandes geradores. A startup é uma das 50 ideias selecionadas pelo programa Start BSB, por meio de edital público da FAPDF lançado em 2019 para estimular o desenvolvimento de startups no Distrito Federal e na Região Integrada de Desenvolvimento (Ride).

O objetivo é mitigar emissões de gases de efeito estufa e degradação ambiental por meio da utilização dos resíduos produzidos por grandes geradores urbanos, tendo em vista que mais de 85% do lixo descartado é reaproveitável e há 12 anos o Brasil não consegue recuperar mais do que 3% ao ano.

Por meio de uma inteligência artificial e machine learning (método de análise de dados que automatiza a construção de modelos analíticos) , a 4H oferece uma estratégia sistêmica para todos os resíduos sólidos urbanos em busca de sustentabilidade e impactos positivos nos setores econômico, social e ambiental.

Com uma logística aplicada ao processo desde o seu descarte na fonte geradora, a startup conseguiu estabelecer um reaproveitamento de mais de 70% do que anteriormente era descartado, material que foi separado em quatro partes distintas: orgânicos, recicláveis, rejeitos e CDRU (combustível derivado de resíduos). Os resíduos orgânicos são compostados no próprio local gerando hortas urbanas, enquanto os recicláveis são rastreados até a recicladora, o CDRU é destinado à indústria de cimento para ser usado como fonte energética e apenas os rejeitos vão para o aterro sanitário.

Hábitos e ações

A 4H foi criada com base na teoria de que o cérebro humano leva três meses para transformar um novo hábito em uma ação automática. O primeiro hábito é separar os resíduos de forma correta; o segundo é reduzir a produção de lixo buscando alternativas sustentáveis; o terceiro é recuperar por meio de iniciativas simples, como fazer uma horta, plantar árvores ou recolher lixo da rua, e o quarto hábito é multiplicar, ensinando os três primeiros hábitos a outras pessoas.

“Nosso ecossistema oferece às empresas tudo que é necessário para essa mudança de hábitos: diagnóstico, infraestrutura, suporte logístico e educativo para o engajamento dos colaboradores”, afirma a fundadora da 4H, Ana Arsky. “Criamos literalmente uma comunidade dentro das empresas, que passa a ser uma parte de toda a comunidade 4H. Além de ajudar o planeta, a nova prática gera retorno financeiro. Ao final, o volume de recicláveis aumenta consideravelmente e a receita da sua venda passa a ser de 50% a 200% maior, tudo gerido pela 4H – o dinheiro cai direto na conta da empresa.”

Mais sobre o Start BSB

O programa ofereceu mais de R$ 5 milhões em recursos de subvenção econômica e viabilizou aos executores dos projetos aprovados bolsas, capacitações e suporte para o desenvolvimento dos negócios. A iniciativa é do Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da FAPDF, em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e operacionalização da Fundação Certi.

A proposta é impulsionar a cultura de empreendedorismo no DF e trazer soluções inovadoras e eficientes para as principais demandas regionais, bem como contribuir para a geração de recursos e ativos e a fixação de empresas, investidores e recursos humanos qualificados na capital federal.

Na primeira fase do programa, os interessados apresentaram suas ideias de negócio, destacando o problema que pretendem solucionar, a solução proposta, o diferencial inovador frente ao que já existe no mercado e a equipe envolvida. Para a segunda fase, foram selecionadas 300 propostas, cabendo aos autores selecionados elaborar um projeto de empreendimento detalhando o plano de negócio executivo para demonstrar as chances de a ideia gerar um bom negócio.

A terceira fase – pela qual passaram 200 das propostas ainda em seleção –  consistiu no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução. Ao longo de todas as etapas, foram oferecidas capacitações para auxiliar o empreendedor na jornada.

Ao final, até 50 projetos serão contemplados com até R$ 112 mil investidos em subvenção econômica, bolsas de apoio, acesso a parceiros, networking, capacitações e suporte para acelerar o negócio.

Para saber conhecer esse e outros programas da FAPDF, siga @fapdfoficial em todas as redes sociais.

Com informações da Agência Brasil

 

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Divulgação/FAPDF / Reprodução Jornal de Brasília

Posts relacionados