terça-feira, 18 de junho de 2024
publicidade publicidade

Panamá inaugura espaço no Jardim Botânico de Brasília

Projeto em parceria com a Serinter já conta com a representação de mais de 40 países

O Jardim Botânico de Brasília (JBB) ganhou um novo jardim na Alameda das Nações e dos Estados. A Embaixada do Panamá construiu um monumento que replica a torre do Panamá Velho – cujas ruínas foram tombadas como Patrimônio Histórico da Humanidade, pela Unesco, em 2005. Dezenas de embaixadores e embaixadoras prestigiaram a inauguração do Jardim Panamá, nesta terça-feira (15).

A torre, símbolo do país latino, foi escolhida pelo embaixador do Panamá, Miguel Lecaro Barcenas, para ser imortalizada no espaço. “Que melhor imagem que esta torre, que será resguardada pela sombra das árvores: um ipê brasileiro e uma árvore panamenha, que representa a grande amizade que existe entre nossos povos e governos”, comparou o diplomata, que plantou uma árvore nativa do país no espaço.

Ele explicou, ainda, outros símbolos usados no jardim: “Vocês entraram nesta praça através das comportas das eclusas do canal (do Panamá). Por isso, o piso azul, azul como a água que é necessária e que hoje está ameaçada pelas mudanças climáticas”. A data escolhida para a inauguração festeja os 504 anos da fundação da Cidade do Panamá e os 109 anos da inauguração oficial do Canal do Panamá.

O secretário de Relações Internacionais do DF, Paco Britto, ressaltou o orgulho de Brasília em receber a réplica de um monumento importante para o Panamá. “Demonstra o respeito com a capital do país ao compartilhar, conosco, essa história”. “E nós, brasilienses, nos sentimos honrados em poder estar no Jardim Botânico, esse espaço amado por todos nós, e nos depararmos com pedaços de tantos lugares do mundo”, completou.

A Alameda das Nações e dos Estados é fruto de uma parceria entre o JBB e a Secretaria de Relações Internacionais (Serinter). O espaço conta com representação de vários países como Israel, Polônia, Espanha e Finlândia, além de um jardim feito por cinco países da América Central e um bosque com hibiscos plantados por 32 países do continente africano. Gabão, México e Equador são os próximos países que inaugurarão seus espaços em breve.

“Essa alameda representa a amizade do Brasil com todo o mundo. Tenham o Jardim Botânico como a casa de vocês”, frisou o diretor do JBB, Allan Freire.

O Jardim Panamá, assim como os demais que compõem a Alameda das Nações e dos Estados, está aberto à visitação de terça-feira a domingo, inclusive feriados, das 9h às 17h, com entrada permitida até as 16h30. O valor da entrada é de R$ 5, mas ela é gratuita para pedestres e ciclistas entre 7h30 e 8h50.

*Com informações da Secretaria de Relações Internacionais

Por Agência Brasília

Foto: Lívio di Araújo/Serinter / Reprodução Agência Brasília

Posts relacionados