domingo, 19 de maio de 2024
publicidade publicidade

“Nem todo glaucoma é por fator hereditário”, alerta oftalmologista

Ao CB.Saúde, especialista diz que a enfermidade é a primeira causa de cegueira irreversível no mundo e pode ter fatores hereditários, como também ser adquirida por diabéticos e pelo uso de altas doses de corticoides

A maioria dos diagnósticos de glaucoma se deve a fatores hereditários, porém algumas comorbidades e o uso de corticoides podem levar ao surgimento da doença, afirmou a oftalmologista do CBV-Hospital de Olhos Núbia Vanessa no programa CB.Saúde — uma parceria entre Correio e a TV Brasília — de ontem. Às jornalistas Sibele Negromonte e Mila Ferreira, a especialista também alertou as mães para o uso contínuo de telas, que pode ocasionar problemas na saúde dos olhos não só de crianças, como de adultos.

Que fatores podem levar uma pessoa a ter glaucoma?

O glaucoma é a primeira causa de cegueira irreversível no mundo, o que também gera uma preocupação pelo fato de ser uma doença em que o paciente não apresenta sintomas. Ele é uma doença silenciosa. A grande maioria dos glaucomas é hereditário, mas ele pode ser adquirido por causa de outras comorbidades como diabetes, traumas, doenças sistêmicas e o uso de corticoides.

O diagnóstico precoce de glaucoma é a melhor forma de prevenir?

É muito importante, quanto mais cedo detectar o glaucoma melhor o controle da doença. Existem pacientes que mesmo com a doença detectada no início têm uma manifestação mais rápida.  A nossa população não tem educação de ir ao médico mesmo sem sentir nada. O glaucoma é detectado pelo médico oftalmologista e a população vai a uma consulta apenas para trocar os óculos, o que é necessário, mas às vezes não é o principal motivo. Uma consulta oftalmológica bem feita pode detectar várias doenças e fazer controle precoce.

Existe alguma relação entre a dengue e covid com as doenças oculares?

A diminuição das plaquetas pode causar sangramentos nasal, na gengiva e também pode ter sangramentos no fundo do olho. Alguns sangramentos são detectados somente por meio de um exame oftalmológico, onde é realizado um mapeamento de retina para verificar a situação. Dependendo da extensão desse sangramento, a pessoa pode, sim, ter acometimento da saúde ocular, às vezes, levando o paciente a ter uma sequela, fazendo necessária a realização de uma cirurgia. Quando teve a covid, ocorreu bastante uso de corticoides e pessoas desenvolveram principalmente a catarata relacionada ao uso de altas doses do medicamento, bem como o glaucoma. O corticoide é uma medicação que é usada em várias áreas da medicina, mas precisa, em determinadas situações, observar a saúde ocular.

O uso de telas de forma precoce, pode causar problemas de visão?

O uso da tela de forma indiscriminada, seja em qualquer faixa etária, precisa ter um controle. É necessário que as crianças brinquem ao ar livre, isso faz parte do desenvolvimento. O fato dela (criança)  ficar sozinha numa tela de tablet, celular ou computador, não está interagindo com o meio ambiente social. Nesse caso, tem uma acomodação, ou seja, o olho fica somente olhando para perto, para a tela, quando essa criança olhar pra longe, não faz o relaxamento ocular. Então, essas crianças passam a ter dores de cabeça, um aumento da miopia. Até 2030, vai ter um aumento muito grande de crianças míopes justamente por elas não olharem para o horizonte. No adulto, apesar da visão estimulada, por causa do uso contínuo de telas, ocorre o uso de colírios lubrificantes. Ter pausas para os olhos descansarem é muito importante, o correto é a cada 20 minutos de uso da tela ter 20 minutos de descanso.

A partir de qual idade as pessoas precisam ficar atentas à catarata?

A catarata é a primeira causa de cegueira reversível. Porque o paciente realizando a cirurgia volta a ter sua qualidade de vida. A catarata, assim como o glaucoma, pode ser congênita, ou seja, a criança nasce com catarata e assim é realizado o tratamento adequado. A partir dos 50 anos de idade, tem traços de catarata. O cristalino, que é a lente natural, acaba ficando opacificado. Então um cristalino de uma pessoa de 45 anos não tem a mesma consistência de uma pessoa de 12 anos. A depender do grau de catarata identificado na consulta oftalmológica, pode-se fazer um tratamento cirúrgico, não existe tratamento com colírio, massagem ou exercício.

Por Alessandro de Oliveira do Correio Braziliense

Foto: Kayo Magalhães/CB/D.A Press / Reprodução Correio Braziliense

Posts relacionados