terça-feira, 18 de junho de 2024
publicidade publicidade

Museu do Louvre na França fechou no sábado após ameaças

Anunciou ainda a mobilização de 7.000 soldados por todo o território até a noite de segunda-feira

O museu do Louvre, em Paris, fechou excepcionalmente neste sábado (14) depois de receber uma mensagem de ameaça. À agência de notícias AFP, um porta-voz afirmou que optou “por evacuá-lo e fechá-lo durante todo o dia, momento essencial para realizar uma verificação” de modo a manter o local e potenciais visitantes a salvo.

A decisão ocorre um dia após um ataque a faca em uma escola na cidade de Arras, no norte da França, que, classificado de terrorista, deixou ao menos um morto. Em reação ao episódio, o governo decidiu na noite da sexta-feira (13) elevar o nível de alerta do país para “emergência atentado”, o mais alto.

Anunciou ainda a mobilização de 7.000 soldados por todo o território até a noite de segunda-feira.

O atentado foi realizado por um homem de origem tchetchena já conhecido por órgãos de segurança em razão de seu envolvimento com o islamismo radical. No momento do ataque, ele teria gritado “Allahu Akbar”, disseram fontes da prefeitura e da polícia à AFP. A expressão, que significa “Deus é maior” em árabe, é comum em culturas islâmicas, mas também se tornou frequente em atentados terroristas nas últimas décadas.

O autor do atentado foi preso, segundo o ministro do Interior francês, Gérald Darmanin. Além de ter matado um professor de língua francesa no colégio Gambetta, ele ainda deixou outras duas pessoas feridas. O presidente Emmanuel Macron visitou o local do crime na própria sexta-feira, descrevendo-o como um ato de “terrorismo islâmico”.

A Procuradoria Nacional Antiterrorismo da França investiga se o atentado tem ligação com organizações terroristas, já que aconteceu em contexto de escalada das tensões entre as comunidades judaica e muçulmana na França devido à guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas em curso há uma semana.

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: AFP / Reprodução Jornal de Brasília

Posts relacionados