domingo, 19 de maio de 2024
publicidade publicidade

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Segundo Defesa Civil, há 1.031 famílias desabrigadas e 2.909 desalojadas no estado

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram emergência no Maranhão devido às fortes chuvas que atingem todo o estado. A informação foi confirmada pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil em nota ao Correio, nesta quinta-feira (9/5).

Ao todo, 1.031 famílias estão desabrigadas e 2.909 desalojadas. Além disso, no município de Santa Inês já foi decretado estado de calamidade pública. 

As fortes chuvas no Maranhão desde abril de 2024 têm provocado a cheia em rios do estado. Ainda segundo a Defesa Civil, as famílias estão sendo auxiliadas nas retiradas das áreas de risco pelas coordenadorias municipais da Defesa Civil e também com a distribuição de refeições fornecidas pela rede de restaurantes populares do Governo do Estado.

Confira a lista dos 30 municípios afetados:

Formosa da Serra Negra

São Roberto

São João do Sóter

Tuntum, Monção

Pindaré-Mirim

Conceição do Lago Açu

Lago da Pedra

Lagoa Grande do Maranhão Carutapera

Governador Nunes Freire

Boa Vista do Gurupi

Trizidela do Vale

Cantanhede

Palmeirândia

Bacabal

Jenipapo das Vieiras

Cachoeira Grande

Buriticupu

Arari

Satubinha

Anapurus

Grajaú

Barreirinhas

Colinas

Matões do Norte

Pedro do Rosário

Peri Mirim

Tufilândia

Barra do Corda

Segundo o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), as cidades com reconhecimento federal de emergência ou de estado de calamidade pública podem solicitar ao MIDR recursos para ações de Defesa Civil. A solicitação pelos municípios em emergência deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

A Defesa Civil ainda reforça que, em casos de chuvas intensas, a população mantenha distância segura de trechos afetados ou em que o solo esteja encharcado — o que aumenta o risco de desmoronamentos e deslizamentos. Em casos de alagamentos, a população deve procurar um lugar seguro e acionar o serviço de emergência pelo 193.

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Por Nathallie Lopes do Correio Braziliense

Foto: Reprodução/X/Governo do Maranhão / Reprodução Correio Braziliense

Posts relacionados