terça-feira, 18 de junho de 2024
publicidade publicidade

GDF lança candidatura para receber os Jogos da Juventude 2025

Documentação enviada destaca motivos pelos quais Brasília está pronta para receber evento esportivo, que reúne anualmente mais de 4.500 atletas

Cidade que respira e transpira esporte, Brasília está mais do que preparada para receber grandes eventos. Por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), o Governo do Distrito Federal (GDF) formalizou a candidatura da capital para sediar os Jogos da Juventude 2025. A documentação lista os atributos estruturais e turísticos que fazem da capital federal o lugar ideal para a promoção do torneio.

“Brasília já demonstrou que tem a estrutura necessária, com o fácil acesso aos locais de jogos e equipamentos públicos e facilidade em relação aos hotéis, por serem próximos da área central, além da questão da gastronomia”, ressalta o secretário de Esporte e Lazer, Júlio César Ribeiro. “Até mesmo a vinda dos atletas para cá é facilitada, porque em outras cidades, geralmente, eles precisam fazer muitas escalas e para cá não, temos voos para todos os estados.”

Tombada como patrimônio cultural da humanidade, Brasília oferece boas rotas turísticas e um museu a céu aberto, além de ser composta por uma vasta rede hoteleira e dispor do maior parque urbano do país – o Parque da Cidade – e da segunda maior malha cicloviária entre as unidades da Federação: 633,496 km, atrás apenas de São Paulo.

Entre os eventos que consagraram a capital brasileira como capital do esporte estão as edições de 2021 e 2022 dos Jogos Universitários. “Quase 5 mil atletas participaram, e a capital os recebeu de forma maravilhosa”, pontua o titular da SEL. Outros torneios já estão marcados no calendário, como a Regional II das Paralimpíadas Escolares, em agosto deste ano.

Disputa

Os Jogos da Juventude são organizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COCB). Anualmente, mais de 4,5 mil atletas de até 17 anos – estudantes de escolas públicas ou privadas – se reúnem para competir em 18 modalidades esportivas: águas abertas, atletismo, badminton, basquete, ciclismo, esgrima, ginástica rítmica, ginástica artística, handebol, judô, natação, taekwondo, tênis de mesa, tiro com arco, triatlo, voleibol, vôlei de praia e wrestling.

Além de Brasília, as cidades de Uberlândia (MG) e Aracaju (SE) também concorrem ao posto de sede em 2025. O anúncio da vencedora será feito em 1º de setembro, durante a cerimônia de abertura da edição 2023 dos jogos, em Ribeirão Preto (SP). Em 2024, o evento será realizado em Blumenau (SC).

Cerca de 15 equipamentos esportivos da capital foram indicados como potenciais palcos dos jogos, como os ginásios Nilson Nelson e do Cruzeiro. “Serão feitas visitas técnicas aos espaços para certificar que tudo o que falamos confere e se, aos olhos deles, correspondem à necessidade dos jogos”, explica o secretário.

Torcida

Bicampeã dos Jogos da Juventude e eleita a melhor atleta da edição de 2022, a judoca Bianca Reis, 17 anos, celebra a candidatura de Brasília. “É uma grande oportunidade para Brasília e para os atletas daqui. Temos organização e capacidade para receber muita gente, e é um lugar muito bonito. E também será uma motivação muito grande para aqueles que não vão competir, que poderão assistir ao evento”.

O assessor técnico do gabinete da SEL, Marcelo Ottoline, reforça a importância da torcida para os atletas brasilienses. “A presença do público, amigos e famílias, para acompanhar os atletas daqui, é um grande incentivo, além de que o evento movimenta a economia da cidade, os hotéis, restaurantes, e os atletas de fora podem conhecer a capital e levar a experiência para casa, para depois voltarem com a família e fazer turismo de fato”, avalia.

Bianca Reis participou do vídeo institucional da candidatura que será apresentado ao COBC. Multicampeã em torneios sul-americanos e pelo Brasil, há sete anos ela é beneficiada pelo Bolsa Atleta – programa oferecido pelo GDF a competidores de alto rendimento.

Capital do esporte

Em agosto, a cidade receberá a Regional II das Paralimpíadas Escolares, durante a qual 600 estudantes com deficiência vão competir nas modalidades de bocha, natação e atletismo. A etapa antecede os jogos nacionais que ocorrerão em São Paulo, em novembro.

Por Agência Brasília

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília

Posts relacionados