terça-feira, 23 de abril de 2024
publicidade publicidade

GDF descentraliza Batalhão Escolar e aproxima efetivo da população

Unidade inaugurada terça-feira (8) no Núcleo Bandeirante reforça proteção de 260 instituições de ensino. Policiais, agora, atuam em quatro companhias com sedes próprias

O Governo do Distrito Federal (GDF) inaugurou, nesta terça-feira (8), mais uma sede das unidades descentralizadas do Batalhão de Policiamento Escolar (BPEsc). A 4ª Companhia, agora, tem sede própria nas dependências da regional de ensino do Núcleo Bandeirante – local estrategicamente escolhido pela proximidade na área de atuação. A unidade descentralizada promove mais segurança às 260 instituições de ensino públicas e privadas de Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e II, Park Way, Recanto das Emas, Gama e Santa Maria.

Neste mês, o GDF também inaugurou a sede da 2ª Companhia do BPEsc, localizada na Unidade Integrada Sesi/Senai de Sobradinho. O destacamento é responsável por 257 unidades escolares de Sobradinho, Planaltina, Paranoá e São Sebastião. Ao todo, são quatro companhias do BPEsc responsáveis pela segurança nas unidades escolares de todas as regiões administrativas do DF.

Antes, as companhias atuavam na sede do comando do batalhão, em Águas Claras. De acordo com a comandante do BPEsc, tenente-coronel Renata Braz, a descentralização para as regiões administrativas torna a segurança pública mais efetiva na comunidade escolar e aproxima o policiais da população.

“A descentralização é importante para a gente estar mais próximo do território de atuação. Hoje, o Batalhão atende todo o DF, tanto escolas urbanas quanto rurais. Então, a necessidade de descentralizar veio justamente para estarmos mais próximos territorialmente dessas unidades de ensino”, afirmou.

“Quanto mais próximos estivermos da comunidade escolar, melhor será o trabalho executado”Marcos Silva, comandante da 4ª Companhia do Batalhão de Policiamento Escolar

“Quanto mais próximos estivermos da comunidade escolar, melhor será o trabalho executado. A gente busca o conforto e a segurança do ambiente escolar”, defendeu o comandante da 4ª Companhia, capitão Marcos Silva.

O secretário-executivo da Secretaria de Educação, Isaías Aparecido, destacou que a aproximação do efetivo com a comunidade escolar é importante no aprendizado dos alunos. “Esse vínculo traz segurança para comunidade, faz com que o aluno tenha sentimento de respeito ao próximo. Hoje nós temos outra figura da Polícia Militar dentro da educação.”

De acordo com a comandante da 2ª Companhia, capitã Bárbara Martins, o efetivo atua com cronogramas de ações preventivas, como o policiamento em horários de entrada e saída dos alunos, e sob demanda de cada regional de ensino. “A gente trabalha sob demanda de cada escola, quando há suspeita de algum crime no ambiente escolar; além da mancha criminal, que é a análise estratégica do relatório divulgado pela SSP de acordo com as ocorrências registradas. Temos também o roteiro de policiamento e a cada dia uma escola diferente é selecionada para integrar a rota do nosso efetivo que está nas ruas”, detalhou.

Mais segurança

Os alunos e professores aprovaram a iniciativa de manter os militares por perto. De acordo com eles, a sensação de segurança aumentou tanto dentro quanto fora das escolas.

“Ficamos muito empolgados de saber que eles têm um ponto de apoio aqui dentro. Estar no ambiente escolar também facilita essa comunicação. Além de promover a sensação de segurança entre a comunidade escolar, esses profissionais mais perto podem servir de exemplo para um jovem que deseja seguir nesta profissão”, pontuou a diretora escolar do Sesi/Senai de Sobradinho, Elisangela Machado.

O estudante de matemática André Juliano Alves de Mendonça, 16 anos, reforçou que se sente mais seguro com a presença dos militares. “É muito interessante essa descentralização e traz muita segurança. Se acontecer alguma coisa por aqui, eu sei que tem policiais aqui do lado para nos ajudar”, compartilhou.

De acordo com a professora Alessandra Afonso, do curso de ciências da natureza, unidades de ensino seguras são importantes para que o aprendizado seja efetivo. “Esse ponto de apoio é muito importante para nós, professores, e alunos. O aluno vem para aprender e, se ele se sente seguro, ele tem um aprendizado melhor”, defendeu.

Outra sede

“Esse ponto de apoio é muito importante para nós, professores, e alunos. O aluno vem para aprender e, se ele se sente seguro, ele tem um aprendizado melhor”Alessandra Afonso, professora

Em junho, a sede da 1ª Companhia do BPEsc também foi inaugurada, na QI 29 do Guará II, com responsabilidade territorial sobre as unidades escolares do Plano Piloto, Guará, Cruzeiro, Lago Sul, Lago Norte, Vila Planalto, Granja do Torto, Sudoeste, Octogonal, Park Way (quadras 4 e 5), SCIA, SAI (Setor de Áreas Isoladas), Estrutural, Varjão, Vila Telebrasília e Taquari, que compreendem as diretorias regionais de ensino do Guará e Plano Piloto.

A próxima a ser inaugurada é a sede da 3ª Companhia, em Ceilândia. Ao todo, as quatro companhias são responsáveis pelo policiamento nas unidades escolares de todas as regiões administrativas do DF.

Investimento

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, há um edital em andamento voltado para a prevenção da violência e da criminalidade, abrangendo medidas como o aprimoramento e fortalecimento das patrulhas escolares, bem como o aperfeiçoamento das operações de inteligência e investigação por meio do reforço das Delegacias Especializadas.

Neste edital, está prevista orçamento de aproximadamente R$ 2 milhões para a aquisição de sete camionetes destinadas ao BPEsc. As novas viaturas vão permitir um patrulhamento adicional a 56 escolas, totalizando um universo de 1.624 unidades de ensino públicas e privadas.

Por Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/ Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília

Posts relacionados