sábado, 20 de abril de 2024
publicidade publicidade

PF segue investigando pessoas próximas a Bolsonaro

Os alvos são acusados de lavagem de dinheiro e uso da estrutura do Estado para vender bens valiosos entregues à presidência

Na manhã de sexta-feira (11/08), a Polícia Federal deflagrou mais uma operação relacionada ao caso das joias ‘dadas’ ao Bolsonaro enquanto ele ainda era presidente da República. Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão contra alvos ligados ao ex-presidente, que estão sendo acusados de vender ilegalmente presentes dados ao governo por delegações estrangeiras.

São pelo menos quatro alvos nessa operação: o tenete-coronel Mauro Barbosa Cid, ex-ajudente de ordens de Bolsonaro; o pai dele, o general Mauro César Lourena Cid; o ex-ajudante de ordens Osmar Crivelatti; e o advogado Frederick Wassef, que já defendeu a família Bolsonaro em diversos processos.

Esses mandados estão sendo cumpridos em Brasília (2), em São Paulo-SP (1) e em Niterói-RJ (1).

Os alvos são acusados de lavagem de dinheiro e uso da estrutura do Estado para vender bens valiosos entregues à presidência – não ao presidente. Eles venderam os bens e o valor foi anexado ao patrimônio pessoal, sem que nada fosse formalizado.

Por Camila Bairros do Jornal de Brasília

Foto: PF / Reprodução Jornal de Brasília

Posts relacionados